Centro de Memória BANERJ

Costuma-se dizer que o nosso país dá pouca importância a sua própria história. O Banerj caminhava para confirmar este conceito. Um banco de história riquíssima, que trazia orgulho à população e muita honra para os que tiveram privilégio de nele trabalhar, não poderia ter sua memória apagada juntamente com a sua liquidação.

Sendo assim, a AAFBanerj resolveu criar, em 1996, o Centro de Memória Banerj, resgatando sua trajetória sócio-político-econômica e cultural, através de documentos, fotos, depoimentos, desde sua criação em 1945, como Banco da Prefeitura do Distrito Federal, até sua privatização. O melancólico fim deu-se em 1996, com a liquidação do Banco e a venda de sua parte saudável para o Itaú, após duas intervenções do Banco Central e uma administração temporária do Bozano, Simonsen.

Com a privatização, havia o risco de que se perdessem alguns dos principais registros da história do Banerj. A instituição participou intensamente da vida dos cariocas e da população fluminense, presenciou as transformações histórico-geográficas do Rio de Janeiro, estado e capital (Distrito Federal, Estado da Guanabara e, por fim, Estado do Rio de Janeiro).

No dia 5 de maio de 1999 foi inaugurada a I Mostra do Centro de Memória Banerj , na sede da AAFBanerj, que já realizou três mostras, provenientes de um acervo que vem crescendo, consideravelmente, devido ao grande apoio e iniciativa dos antigos colegas de banco e seus familiares. A iniciativa de perpetuar a memória do Banerj mescla saudade com história.

A Direção da AAFBanerj agradece a todos que a apoiaram nesta iniciativa e contribuíram para a criação, manutenção e aumento do acervo da Memória Banerj.